13º SEMINÁRIO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA ABES

 

PUC II

Conhecendo Cooperativas

Gincana 2014

Sobre

Sobre

O FLUXUS, LABORATÓRIO DE ENSINAGEM EM REDES TÉCNICAS E SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL, da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP tem como objetivo principal organizar uma rede de pesquisadores que tratam da questão socioambiental na perspectiva do planejamento urbano e urbano-regional, desenvolvendo atividades de ensino, pesquisa e extensão. Sendo um espaço para discussão de ideias e pesquisas, o FLUXUS privilegia os estudos sobre fluxos, redes e sustentabilidade socioambiental urbana.
Linhas de Pesquisa

Linhas de Pesquisa

As pesquisas e projetos contribuem com novas abordagens e metodologias para o planejamento urbano participativo, inclusivo e sustentável. O laboratório estrutura suas pesquisas a partir de dois grupos de pesquisas CNPq: FLUXUS e Habitares.
Ensino

Ensino

A formação, a capacitação e a qualificação dos diversos profissionais envolvidos no planejamento, projeto, construção e manutenção de cidades sustentáveis e saudáveis demandam novos estudos e diálogos transdisciplinares, que [re]conheçam os diversos agentes que nelas atuam, de modo a explicitar a teia de relacionamentos e processos urbanos em curso.

Histórico


Em 1992, na Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Unicamp, um conjunto de docentes e pesquisadores organizou um grupo de estudos em planejamento ambiental. Reuniram-se profissionais de diversas formações. O grupo, em 1998, foi convidado a organizar o processo de gestão ambiental da Cidade Universitária Zeferino Vaz. Em 2001, alguns dos pesquisadores assumiram a administração da política ambiental do município de Campinas e exerceram a representação nas diretorias do Consórcio das bacias hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí; e, ANAMMA/SP (Associação Nacional de Municípios e Meio Ambiente/Seção São Paulo), bem como na Câmara Técnica de Planejamento do Comitê das Bacias Hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí e nos Conselhos Municipais de Meio Ambiente, Habitação, do Idoso, do PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil), Orçamento Participativo, Desenvolvimento Rural e da SANASA.


Logo após sua certificação, em 2003, foi indicado, pela Unicamp, e registrado como Grupo de Pesquisa do CNPq. Em 2005, obteve um espaço físico próprio. Em 2013, o laboratório se reestruturou, ampliando seu escopo e incorporando novos docentes e pesquisadores, potencializando suas ações.